Campanha ainda não atingiu meta

campanha contra a influenza iniciou-se dia 10/04 atendendo os grupos prioritários: crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, mulheres que tiveram bebês até 45 dias pós parto, idosos, pessoas com comorbidades (doenças crônicas e outras condições clínicas), professores, trabalhadores de saúde,  indígenas, policiais civis e militares, bombeiros e forças armadas, sistema prisional, adolescentes em medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

A vacina contra influenza é trivalente, ou seja, protege contra o vírus h1n1, h3n2 e tipo b que causam complicações e podem levar a óbito rapidamente.

 

No dia D da campanha, 04/05, foram vacinados 214 pessoas dos grupos prioritários, um quantitativo baixo para a importância e gravidade que a  doença atinge.

 A cobertura vacinal de Maracaju está em 45,78  ,  baixa para a meta a ser alcançada até 31 de maio, que é de 90%.

De acordo com a enfermeira Deise Cristiane de Oliveira a população ainda acredita no mito de que se tomar a vacina vai ficar “gripado”. a vacina é produzida por “pedaços” de vírus inativados, ou seja mortos, não causando mal algum.

 

Ela fez uma recomendação, quem ainda não se vacinou, procure uma unidade de saúde mais perto de sua casa e vacine.