Em entrevista prefeito fala de obras

22092660_10155750065783501_1994142471_o

O prefeito de Maracaju, Maurílio Azambuja (PMDB), e o secretário municipal de Governo, Frederico Fellini, participaram, na manhã de ontem, de uma mesa redonda no programa “Primeira Hora”, na Rádio Cidade, ocasião em que responderam a várias perguntas formuladas pelos apresentadores Rudimar Lautert e Jota Menon e também a questionamentos formulados pelos ouvintes da RCM através do telefone 3454-2710.

Durante uma hora o prefeito e o secretário abordaram temas como investimentos na saúde, na educação e infraestrutura urbana. No âmbito das perguntas formuladas pelos moradores da cidade, prefeito e secretário esclareceram dúvidas sobre a construção de moradias populares, processo seletivo na Secretaria de Educação, construção de apartamentos na área onde deveria funcionar o clube Nipo-Brasileiro e conclusão de obras paralisadas como o asfaltamento dos bairros Fortaleza, Geazone e Ivan Loureiro.

Sobre as casas populares, o prefeito esclareceu que os investimentos federais no setor habitacional estão parados e a Prefeitura Municipal não tem como desenvolver um projeto no setor sem recursos da União e do Estado.

O chefe do Executivo disse que a Prefeitura disponibilizou 300 terrenos para um novo núcleo habitacional e que, agora, aguarda a aprovação de projeto junto à Caixa Econômica Federal para a construção das moradias.

Ainda nesse mesmo tema, o prefeito e o secretário de Governo responderam a questionamento de um morador sobre a destinação da área da antiga Nipo-Brasileira. Lá serão construídos 300 apartamentos, parte deles destinada a servidores públicos e parte à população maracajuense. A aquisição dos apartamentos será feita junto à Caixa Econômica, que é o órgão financiador e fiscalizador da obra.

Quanto ao processo seletivo da Secretaria de Educação, Frederico Fellini esclareceu que ele acontece quando há vagas a serem preenchidas. “O processo seletivo é realizado quando vagas preenchidas por concursados se encontram em vacância por cedência de servidor a outros órgãos. Não se preenche vagas novas por processo seletivo, mas por concurso” explicou adiantando que não há previsão de novo processo seletivo para o município.

Sobre as obras paralisadas, o prefeito Maurílio garantiu que até o final de seu mandato todas serão concluídas, entre elas o terminal rodoviário, que deverá ser administrado por meio de terceirização; o centro cultural, que será concluído pelo Governo do Estado, em parceria com a UEMS, e a escola do Geazone cujas obras serão retomadas brevemente.

Maurílio destacou a preocupação de sua administração em elencar prioridades e frisou, mais uma vez, que o governo municipal tem como meta o desenvolvimento de ações que beneficiem o conjunto da população. Por isso, a grande preocupação em concluir o Pronto Socorro e dar início nas obras da Maternidade, anexa ao Hospital Municipal.

Sobre a obra que considera mais importante na sua administração, o prefeito citou a parceria com a FIEMS – Federação da Indústria de Mato Grosso do Sul -, que possibilitou a implantação no município de um dos mais modernos centros de capacitação profissional do Estado. “Essa é uma obra ad aeternum, que veio para beneficiar nossos jovens e prepará-los para o mercado de trabalho” disse.

Texto: Jota Menon