Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Maracaju - MS
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Youtube
Rede Social Linkedin
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUN
10
10 JUN 2021
AÇÕES AO CORONAVÍRUS
Prefeitura de Maracaju divulga novo decreto com medidas restritivas de acordo com a Bandeira Cinza do Prosseguir.
Prefeitura de Maracaju divulga novo decreto com medidas restritivas de acordo com a Bandeira Cinza do Prosseguir.

Após reunião deliberativa entre o Prefeito Municipal, Secretários, Vereadores, representantes de entidades a Prefeitura de Maracaju divulgou um novo decreto municipal apresentando a sociedade as medidas restritivas que visam combater a proliferação da COVID-19.

A reclassificação ocorre por causa do aumento do número de casos, óbitos e índice de contágio, bem como devido a superlotação nos hospitais, que registram taxa de ocupação global de leitos de UTI/SUS acima dos 90% nas quatro macrorregiões de saúde do Estado (Campo Grande, Dourados, Corumbá e Três Lagoas), o Prosseguir decidiu subir os municípios de bandeira para um nível de coloração acima do vigente.

Com a nova atualização dos dados, 7 cidades estão classificadas na bandeira laranja (grau de risco médio), 29 foram colocadas na bandeira vermelha (grau de risco alto) e 43 subiram para a bandeira cinza (grau de risco extremo), entre elas a cidade de Maracaju.
 
DAS MEDIDAS ADICIONAIS A SEREM ADOTADAS ENQUANTO PERDURAR A EXCEPCIONAL CLASSIFICAÇÃO DE BANDEIRA CINZA PELO PERÍODO DE 11 A 24 DE JUNHO DE 2021 conforme a DELIBERAÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROSSEGUIR Nº 4, DE 9 DE JUNHO DE 2021.
Art. 22.Enquanto perdurar a Excepcional classificação da Bandeira Cinza do Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR para o Município de Maracaju, conforme a DELIBERAÇÃO DO COMITÊ GESTOR DO PROSSEGUIR Nº 4, DE 9 DE JUNHO DE 2021 serão adotadas a nova classificação das atividades e dos serviços, por faixa de risco, considerados essenciais, não essenciais de baixo risco, não essenciais de médio risco, não essenciais de alto risco e não recomendados, no âmbito do Município de Maracaju, seguindo orientação do Programa de Saúde e Segurança da Economia (PROSSEGUIR): DISTRIBUIÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS POR FAIXA DE RISCO ESSENCIAIS:
1.1. Serviços públicos prestados pelos Poderes Executivos e Legislativos Municipais, Poder Judiciário (incluída a Justiça Eleitoral) e Poder Legislativo Estadual, Ministério Público, Defensoria Pública e Tribunal de Contas do Estado e, ainda, por esses Poderes e Instituições integrantes da União localizados no território de Mato Grosso do Sul, cujo o funcionamento observará os normativos das áreas da saúde, da educação e religiosa;
1.2. Assistência à saúde no geral: Serviços prestados por odontólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos e fonoaudiólogos, de forma remota ou à distância, com atendimento presencial somente em casos de urgência, emergência ou de pessoas que necessitem de acompanhamento especial e contínuo;
1.3. Assistência Social a vulneráveis e a pessoas que necessitem de cuidados especiais, tais como portadores de deficiência, idosos e incapazes;
1.4. Serviços de segurança;
1.5. Transporte e entrega de cargas de qualquer natureza;
1.6. Transporte coletivo de passageiros, incluído o intermunicipal;
1.7. Transporte de passageiros por táxi ou serviços de aplicativo;
1.8. Coleta de lixo;
1.9. Telecomunicações e internet;
1.10. Abastecimento de água;
1.11. Esgoto e resíduos;
1.12. Geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;
1.13. Produção, transporte e distribuição de gás natural;
1.14. Iluminação pública;
1.15. Serviços funerários; 1.16. Atividades com substâncias radioativas e materiais nucleares;
1.17. Prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais;
1.18. Serviços bancários apenas, excluído os lotéricos;
1.19. Tecnologia da informação, call center e data center;
1.20. Transporte de numerários;
1.21. Geologia (alerta de riscos naturais e de cheias e inundações);
1.22. Atividades agropecuárias, incluindo serviços de produção pecuária e cultivos de lavouras temporárias e permanentes;
1.23. Serviços mecânicos;
1.24. Comércio de peças para máquinas e veículos, exclusivamente sob a modalidade delivery;
1.25. Serviços editoriais, jornalísticos, publicitários e de comunicação em geral;
1.26. Manutenção, instalação e reparos de máquinas, equipamentos, aparelhos e objetos;
1.27. Centrais de abastecimentos de alimentos;
1.28. Construção civil, montagens metálicas e serviços de infraestrutura em geral;
1.29. Serviços de delivery relacionados a quaisquer atividades, serviços e empreendimentos mesmo não classificados como essenciais;
1.30. Drive thru apenas para alimentos e medicamentos;
1.31. Produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;
1.32. Frigoríficos, curtumes e produção de artefatos de couro; 1.33. Extração mineral;
1.34. Comércio de produtos de saúde, higiene e alimentos, para seres humanos e animais, e de bebidas NÃO alcoólicas;
1.35. Indústria de produtos de saúde, higiene e alimentos, para seres humanos e animais, e de bebidas;
1.36. Indústrias: têxtil e de confecção; de produtos à base de petróleo, inclusive a distribuição; produção de papel e celulose; do segmento de plástico e embalagens; de produção de cimento, cerâmica e artefatos de concreto, metalúrgica e química;
1.37. Serrarias e marcenarias;
1.38. Atividades em escritórios nas áreas administrativa, contábil, jurídica, imobiliária, entre outras, sem atendimento presencial ao público;
1.39. Serviços de engenharia, agronomia e atividades científicas e técnicas;
1.40. Usinas e destilarias de álcool e açúcar;
1.41. Serviços cartoriais;
1.42. Serviços de higienização, sanitização, lavanderia e dedetização;
1.43. Educação dos níveis infantil, fundamental, médio, técnico-profissionalizante, superior e pós-graduação, apenas em formato remoto, on line e à distância, não sendo permitido formato presencial;
1.44. Serviços postais;
1.45. Serviços de hotelaria e de hospedagem em geral;
1.46. Parques Estaduais;
1.47. Atividades religiosas, vedada a aglomeração e desde que realizadas mediante a adoção das medidas de biossegurança recomendadas pela Organização Mundial de Saúde, nos termos da Lei Estadual nº 5.502, de 7 demaio de 2020 e do Protocolo de Biossegurança Específico da atividade, conforme o art. 5º inciso I do Decreto Municipal n° 243/2021;
1.48. Restaurantes localizados em rodovias;
1.49. Exercício físico ao ar livre; e 1.50. Atividades e serviços destinados à pratica de atividade física e exercício físico, desde que observados os protocolos de biossegurança do setor, nos termos da Lei Estadual nº 5.653, de 3 de maio de 2021 e do Protocolo de Biossegurança Específico da atividade, conforme o art. 5º inciso III do Decreto Municipal n° 243/2021;
2. NÃO ESSENCIAIS DE BAIXO RISCO:
2.1. Profissionais liberais não especificados em outras classificações;
2.2. Restaurantes;
2.3. Comércio de bebidas alcoólicas;
2.4. Serviços da cadeia do turismo;
2.5. Visitação em atrações turísticas, culturais e esportivas;
3. NÃO ESSENCIAIS DE MÉDIO RISCO:
3.1. Comércios atacadistas não especificados nas demais classificações;
3.2. Comércios varejistas não especificados nas demais classificações;
3.3. Bares e afins;
3.4. Prestação de serviços não especificadas nas demais classificações;
3.5. Pesquisa e desenvolvimento;
3.6. Cinemas em espaço aberto;
3.7. Shopping;
3.8. Feiras livres;
3.9. Cabelereiro, barbearia, salões de beleza e afins;
4. NÃO ESSENCIAIS DE ALTO RISCO:
4.1. Eventos, reuniões e festividades em clubes, salões, centros esportivos e afins; 4.2. Boliche, sinuca e similares e jogos eletrônicos;
4.3. Áreas comuns de Condomínios.
5. NÃO RECOMENDADOS:
5.1. Eventos culturais e de lazer;
5.2. Teatros, cinemas, arenas e espaço de eventos fechados;
5.3. Feiras de negócios e exposições.
 
Art.23. Pelo período de 11 a 24 de junho de 2021, em razão da excepcional classificação da Bandeira Cinza do Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR para o Município de Maracaju, NÃO SERÁ PERMITIDO:
I –o funcionamento de atividades consideradas como não essenciais de baixo risco, não essenciais de médio risco, não essenciais de alto risco e não recomendados, conforme classificação mencionada no artigo anterior, sob pena de o infrator ser autuado com multa variando de 100 (cem) a 1000 (mil) UFMs,a critério da Fiscalização, além de suspensão do Alvará de Localização e Funcionamento, com interdição temporária do estabelecimento até que a classificação do Município de Maracaju no Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR atinja a Bandeira Verde;
II - a realização de eventos em salões de festas, bufês, clubes e assemelhados;
III - a prática de jogos como sinuca, baralho e bozó e assemelhados em ambientes públicos ou privados, bem como uso compartilhado de cigarros eletrônicos, vaporizadores e narguiles, vedada inclusive a locação dos equipamentos;
IV - a junção de mais de cinco pessoas em residências, além das que moram no local.
V -a prática esportiva coletiva (futebol, vôlei, handebol, etc.) de caráter recreativo e tampouco a realização de eventos e disputas esportivas em ginásios, campos, quadras esportivas, estádios, clubes, pistas de motocross, kartcross e assemelhados, bem como ao ar livre, ainda que sem a presença de público.
VI – a entrada de crianças menores de 12 (doze) anos nos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, exceto os das áreas da saúde, da educação e religiosa;
VII - o consumo de gêneros alimentícios e bebidas em postos de gasolina, frutarias, açougues, mercearias, mercados, supermercados, atacados e congêneres;
VIII - a entrada de pessoas acompanhadas nos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, exceto os das áreas da saúde, da educação e religiosa;
IX - a execução de música ao vivo nas dependências de bares, lanchonetes, restaurantes, cafés, pizzarias e assemelhados.
X - a permanência de pessoas em pé e ou em filas de espera nos estabelecimentos de alimentação, tais como bares, lanchonetes, pizzarias, restaurantes, sorveterias, cafés, trailers, etc.
XI – A venda e comercialização de Bebidas Alcóolicas em todos os estabelecimentos comerciais situados no Município de Maracaju e no Distrito de Vista Alegre, compreendendo, mercados, supermercados, atacados, mercearias, conveniências, padarias, açougues e congêneres, devendo os estabelecimentos impedirem o acesso público às bebidas através do isolamento de gôndolas e prateleiras, freezers, cervejeiras e geladeiras. A proibição ainda se estende serviços de alimentação (bares, restaurantes, sorveterias, lanchonetes, cafés, pizzarias, trailers, conveniências, distribuidoras de bebidas e assemelhados), sob pena de o infrator ser autuado com multa variando de 100 (cem) a 1000 (mil) UFMs, a critério da Fiscalização, além de suspensão do Alvará de Localização e Funcionamento, com interdição temporária do estabelecimento até que a classificação do Município de Maracaju no Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR atinja a Bandeira Verde.
CAPÍTULO VIII DAS PENALIDADES
Art. 24.O estabelecimento que promover a execução de música ao vivo em suas dependências, calçadas e/ou vias públicas enquanto perdurar a classificação de Bandeira Laranja, Vermelha ou Cinza para Maracaju no Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR, sofrerá imediatamente as penalidades de:
a) multa pecuniária variando de 100 (cem) a 1000 (mil) Unidades Fiscais do Município (UFM), a critério da Fiscalização;
b) suspensão do Alvará de Localização e Funcionamento; c) interdição temporária do estabelecimento até que a classificação do Município de Maracaju no Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR atinja a Bandeira Verde; d) responsabilização dos proprietários dos estabelecimentos infratores civil e penalmente nos termos da legislação vigente.
Art. 25.Não será permitida a realização de eventos, festividades, celebrações e disputas esportivas em ginásios, campos, quadras esportivas, estádios, clubes, pistas de motocross, kartcross e assemelhados, bem como ao ar livre, na zona rural do Município, ainda que sem a presença de público, enquanto perdurar a classificação da Bandeira Vermelha ou Cinza do Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR para o Município de Maracaju, sob pena dos responsáveis pelo evento a multa de variando de 100 (cem) a 1000 (um mil) Unidades Fiscais do Município (UFM), dependendo da gravidade e extensão do evento.
Art. 26. As conveniências e distribuidoras de bebidas poderão exercer suas atividades, enquanto perdurar a classificação da Bandeira Vermelha do Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR para o Município de Maracaju, até o limite dos horários já estabelecidos neste Decreto e desde que observadas as medidas de biossegurança mencionadas no artigo 10 desde Decreto, podendo efetuar serviços de delivery até o horário limite das 20:00 horas.
§ 1º. Fica expressamente proibido o estacionamento de veículos a uma distância inferior a 50 (cinquenta) metros de qualquer conveniência ou distribuidora de bebidas;
§ 2º. Caberá aos responsáveis pelas conveniências e distribuidoras de bebidas, orientar seus clientes sobre a proibição de aglomeração e desordem nos estabelecimentos e em seus arredores, bem como ficarão responsáveis por encerrar suas atividades antecipadamente em caso de desobediência às orientações;
§ 3º. A inobservância de qualquer das normas estabelecidas neste artigo sujeitará os infratores, comerciante ou consumidor, à multa pecuniária no valor correspondente a 100 (cem) Unidades Fiscais do Município (UFM), para cada um.
Art. 27. Fica proibida a circulação de pessoas diagnosticadas e infectadas com o Coronavírus (Covid-19), exceto no caso de urgência ou emergência médica e deslocamentos até as unidades de saúde ou hospitais, devendo manter-se em isolamento pelo tempo recomendado pelo profissional de saúde, sob pena de aplicação de multa no valor de 200 UFMs, e em caso de reincidência, a multa será devido em dobro, sem prejuízo das sanções cíveis e penais previstas (arts. 267[1] e 268[2], ambos do Código Penal Brasileiro).
Art. 28. Ficam as agências bancárias, lotéricas, Correios e asserventias extrajudiciais (cartórios) autorizadas a manter seu horário regular de funcionamento, condicionado à observação das medidas de biossegurança mencionadas nos artigos 10 e 23, I, desde Decreto, restringindo-se o atendimento a 40% (quarenta por cento) de sua capacidade legal de lotação, desde que respeitado o distanciamento mínimo de 1,5m (um metro e meio) entre as pessoas presentes no recinto. Parágrafo único .Caberá aos responsáveis pelas agências bancárias, lotéricas, Correios e as serventias extrajudiciais(cartórios), a obrigatoriedade de orientar seus clientes sobre a proibição de aglomeração, ainda que fora do estabelecimento(calçadas e ruas), bem como ficarão responsáveis por encerrar suas atividades antecipadamente em caso de desobediência às orientações, sob pena de multa pecuniária variando de 100 (cem) a 1000 (mil) Unidades Fiscais do Município (UFM) e interdição temporária do local por 7 (sete) dias.
Art. 29. As pessoas e os estabelecimentos, com ou sem fins lucrativos, deverão sujeitar-se ao cumprimento das medidas previstas neste decreto e o descumprimento delas sujeitará multa pecuniária variando de 100 a 1000 (UFMs), sem prejuízo da responsabilização administrativa, cível e penal, nos termos previstos em lei.
Parágrafo único. Os casos de descumprimento deste decreto deverão ser informados à autoridade competente a fim de apurar se houve infringência aos artigos 267, 268 e 330 Código Penal, bem como ao artigo 10 da Lei Federal n. 6.437, de 20 de agosto de 1977.
CAPÍTULO IX DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
Art. 30. Caberá à Secretaria Municipal de Saúde a adoção das providências necessárias para o cumprimento das medidas determinadas por este Decreto, podendo, para tanto:
I - Designar servidores públicos de quaisquer secretarias para execução das atividades de que trata este Decreto, exceto aqueles que se enquadrarem no grupo de risco, conforme orientações do Ministério da Saúde;
II - Requisitar bens de outros órgãos ou entidades da Administração Pública, se necessário; III -Estabelecer tratativas com outros órgãos e entidades da Administração Pública Municipal, Estadual e Federal.
Art. 31. Ficam designados todos os servidores municipais lotados nos cargos de Fiscal de Vigilância Sanitária, Fiscal de Posturas, Fiscal de Obras e Fiscal de Tributos, Simpaf (Sedema), sem prejuízo de outros que vierem a ser convocados para o exercício de tal função, para atuarem na fiscalização das medidas adotadas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavírus (COVID-19).
Art. 32.Eventuais denúncias relativas ao descumprimento das medidas para enfrentamento do surto da COVID-19 deverão ser feitas pelos seguintes canais de atendimento:
 a) SIC Físico: Rua Appa, nº 120 - Paço Municipal - Sala da Ouvidoria;
b) WhatsApp: (67) 98478-0021;
c) E-mail: ouvidoria@maracaju.ms.gov.br; d) Site: http://www.maracaju.ms.gov.br;
e) Telefones: (67) 98467-0481 para aglomeração nos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços e (67) 99984-9868 ou 190 para aglomeração civil (festas, eventos, etc.).
Art. 33. Os infratores às determinações constantes do presente Decreto ficam sujeitos às penas dos artigos 267 e 268, ambos do Código Penal Brasileiro.
Art. 34. As medidas previstas neste Decreto poderão ser reavaliadas a qualquer momento, em especial quando houver mudança no Programa de Saúde e Segurança da Economia - PROSSEGUIR do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, tudo de acordo com a situação epidemiológica do Município, devidamente supervisionado e aprovado pelo Ministério Público Estadual, em consonância com o Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Município de Maracaju.
Art. 35. Em caso de superveniência de quaisquer medidas restritivas, porventura, editadas pelo Governo Federal ou Governo Estadual, estas terão aplicabilidade preponderante ao presente Decreto Municipal.
Art.36. A Administração Municipal poderá regulamentar medidas de caráter mais restritivo do que as determinadas no Programa Prosseguir, sempre que a situação de saúde local exigir.
Art. 37. Fica expressamente revogado o Decreto nº 227/21 de 01 de junho de 2021, bem como demais disposições em sentido contrário.
Art. 38. Este Decreto entra e vigor na data de sua publicação e terá efeitos a partir de 11/06/2021. Gabinete do Prefeito Municipal de Maracaju, Estado de Mato Grosso do Sul, aos dez dias do mês de junho do ano de 2021.
 
Autor: Tiago S. Rodrigues DRT 1785/MS - Assessor de Comunicação Responsável
VINCULADOS À PÁGINA:
SAÚDE - CMS
Seta
Versão do Sistema: 3.1.0 - 07/06/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia