Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Maracaju - MS e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Maracaju - MS
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Youtube
Rede Social Linkedin
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
30
30 NOV 2021
SAÚDE
Em Maracaju “Novembro Azul” se encerra com Palestras e ações que vão até o público alvo
PROCESSANDO ÁUDIO
Pedaladas, palestras e visitas a empresas do agronegócio foram algumas das ações organizadas pela Secretaria Municipal de Saúde.

A Prefeitura de Maracaju através da Secretaria Municipal de Saúde, reforçou durante neste mês alusivo ao “Novembro Azul”, ações focadas na saúde do homem, através de palestras de conscientização, coleta de exames e visitas em empresas rurais, onde há grande número de trabalhadores homens.

Durante todo o mês, ações como o Passeio Ciclístico Novembro Azul, Palestra e Coleta de Exames no Pátio de Obras, Palestra na Fazenda Sapé, Palestra na Cooperativa COAMO, Palestra na Fazenda Água Tirada, Palestra na Cooperativa Lar e outras inúmeras ações, aproximaram a Secretaria Municipal da Saúde do público alvo da campanha.

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde Thiago Caminha, Maracaju tem uma preocupação extrema com a saúde de todos os munícipes e, especialmente dos homens, através do “Novembro Azul”, buscando conscientizá-los e reforçar a importância dos exames preventivos.

“Maracaju conta com uma ampla estrutura de saúde pública para atender os homens, especialmente, nessas ações em fazendas e cooperativas rurais, onde há um público predominantemente masculino, todo esse trabalho da gestão do Prefeito Marcos Calderan, busca levar informação e saúde até onde as pessoas estejam.” Explicou Thiago Olegário Caminha.

Todas as ações foram coordenadas pelo Enfermeiro Elson Barbosa da Silva, Coordenador da Saúde do Homem em Maracaju.

Novembro Azul: Mês Mundial de combate ao câncer de próstata 

O câncer de próstata, é o tipo mais comum entre os homens, e causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O que é a próstata?
É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Sintomas:

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

• dor óssea;
• dores ao urinar;
• vontade de urinar com frequência;
• presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

Fatores de risco:

• histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
• raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
• obesidade.

Prevenção e tratamento:

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom trans retal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

Com informações do Ministério da Saúde
Autor: Tiago S. Rodrigues DRT 1785/MS - Assessor de Comunicação Responsável
Seta
Versão do Sistema: 3.1.9 - 17/01/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia