Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Maracaju - MS e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Maracaju - MS
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Youtube
Rede Social Linkedin
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
MAI
19
19 MAI 2022
DESENVOLVIMENTO
Secretário Agadir Mossmann prestigiou Audiência Pública de Apresentação de Estudo de Impacto Ambiental da Nova Ferroeste
enviar para um amigo
receba notícias
PROCESSANDO ÁUDIO
Titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do município representou a Prefeitura de Maracaju na audiência.
 
Na última segunda-feira 16-05, a Prefeitura de Maracaju através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente se fez presente na Audiência Pública de Apresentação de Estudo de Impacto Ambiental da Nova Ferroeste realizada no município de Dourados.
 
Representando o município, Agadir Mossmann participou da Audiência Pública do Empreendimento Corredor Oeste de Exportação – Nova Ferroeste.
 
O evento foi organizado pelo IBAMA para apresentar o Estudo de Impacto Ambiental do Projeto (EIA/RIMA) realizado pela consultoria contratada. O estudo apresentou Maracaju como uns dos 9 terminais ferroviários (polos de carga): um pátio com transbordo de cargas, além da previsão de 80 pátios de cruzamentos no trecho entre Maracaju (MS) e Paranaguá (PR).
 
A Nova Ferroeste é uma conquista importante e agora estamos nesta fase de estudos, sendo já projetado que Maracaju será o ponto de partida até Paranaguá no Paraná, passando ainda por importantes municípios produtores do estado como Mundo Novo, Eldorado, Iguatemi, Amambai, Caarapó, Dourados e Itaporã. Importante se preparar para essa grande evolução que nossa cidade receberá, tornando-se um importante polo de serviços e distribuição de produtos, cada vez mais, torna-se necessário investimentos em estrutura, por isso, sempre destaco aos empresários e empreendedores maracajuenses é o momento de se investir, prospectar novos negócios, preparando nossa terra para a chegada da nova Ferroeste.” Afirmou Agadir Mossmann.
 
Agadir ainda ressaltou que para os canteiros de obras da Ferroeste está prevista a utilização de mão de obra local, sempre que possível. As atividades precisarão contar com: ajudantes, armadores, bombeiro hidráulico, carpinteiro, eletricista, pedreiro, serralheiro, servente, soldador, montador, entre outros.
 
O município segue se preparando em duas vertentes, capacitação de mão de obra, através de diversos cursos oferecidos gratuitamente em parceria com o SEBRAE, bem como, melhoria da infraestrutura pública, através dos investimentos em abertura de novas ruas, alargamentos, melhoria em sinalização e outras melhorias que serão feitas ao longo dos anos.
 
Após a apresentação foi aberta para discussão e tira dúvidas dos presentes pelos técnicos do IBAMA, investidores e consultoria.
 
Estiveram presentes representantes do Governo do Estado, municípios pertencentes ao Corredor Oeste e população em geral.
 
Sobre a Nova Ferroeste
 
O projeto da Nova Ferroeste vai ampliar a atual Ferroeste – estrada de ferro com 248 quilômetros entre Cascavel e Guarapuava. O novo traçado vai ligar Maracaju, no Mato Grosso do Sul ao Porto de Paranaguá, além de um ramal entre Cascavel e Foz do Iguaçu, num total de 1.304 quilômetros.
 
Durante o EIA foram feitas diversas análises geológicas, da qualidade do ar, da água, análises dos ruídos, além do levantamento da fauna e flora existentes ao longo do trajeto. Estão contidos ainda, dados sobre questões sociais, que envolvem todos os municípios e o entorno.
 
Os estudos apontam que no primeiro ano de operação plena vão circular pelos trilhos cerca de 38 milhões de toneladas de produtos, formando o chamado Corredor Oeste de Exportação. A maior parte será proteína animal e grãos com destino ao Porto de Paranaguá.
 
O investimento estimado é de R$ 29,4 bilhões e será feito pelo vencedor do leilão na Bolsa de Valores do Brasil (B3), previsto para o segundo semestre de 2022, caberá à iniciativa privada executar as obras e explorar a ferrovia por 70 anos.
 
Autor: Tiago S. Rodrigues DRT 1785/MS - Assessor de Comunicação Responsável
Seta
Versão do Sistema: 3.2.3 - 06/06/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia